Epicondilite


A epicondilite é causada por atividades que exigem uso excessivo ou incomum dos músculos extensores do punho ou dos pronadores do antebraço, como ocorre em alguns esportes, especialmente o tênis, em praticas musicais como o piano, em dentistas pelo esforço diário cíclico ou por tensões repetitivas na articulação do cotovelo.


A epicondilite começa como uma ligeira dor, mas se o esforço repetitivo for continuado, principalmente na região do antebraço em sobrecarga, a área atingida torna-se dolorosa ao toque e a dor pode irradiar para baixo até ao punho. Levantar quaisquer objetos, especialmente com o antebraço estendido, torna-se muito doloroso e quase impossível, mesmo que tenham pouco peso. Gestos de rotação do membro, como o de abrir a maçaneta de uma porta, tornam-se impossíveis.


O tratamento da epicondilite geralmente envolve tratamento medicamentoso e fisioterápico em um período de 3 meses. A primeira medida sempre será procurar retirar ou minimizar a causa da afecção: o esforço repetitivo ou a sobrecarga local. Em conjunto, emprega-se tratamento medicamentoso com antiinflamatório e fisioterapia local. Estes tratamentos variam de caso a caso.


É de extrema importância que a pessoa afetada deve imediatamente procurar um profissional da saúde, seja ele médico ou fisioterapeuta.